sábado, 3 de fevereiro de 2018

BLOCO EVOÉ BACO - A CIDADE É NOSSA


Dia 08 de fevereiro, quinta-feira, a partir das 18 horas.

ESSA CIDADE É NOSSA!

Vem com o Maracagalha carnavalizar, desorganizar, se manifestar no BLOCO EVOÈ BACO!
Vista sua fantasia, seu estandarte, pegue seu instrumento, traga seu isopor com cerveja e venha!


CORTEJO COM A ORQUESTRA VAI QUEM VEM!

Fique ATENTO ao LOCAL DE CONCENTRAÇÃO E SAÍDA do CORTEJO!
Rua Nicolau Fragelli, 86 

N a rua Joaquim Nabuco esquina com Barão do Rio Branco a foliz fica por conta da GRES IGREJINHA, BANDA SOSSEGA LEÃO, ANARCOCHARANGA EVOÉ BACO, FINAL 2ª GIRA DAS MARCHINHAS e muito mais...!

Quem é do BalacoBaco VEM PRÁ RUA, ESSA CIDADE É NOSSAAAA!EVOÉ!

É Catarse Geral.
É cultura popular! 
Prepare o corpo e a alma e VEM!
EVOÉ BACO 2018!

Evoé!


sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

PRÉ-CARNAVAL EVOÉ BACO no Campo Grande News

26/01/2018 10:11

De volta às origens, bloco faz pré-carnaval para mostrar poder do Bairro Amambaí

Intenção do bloquinho do Teatro Imaginário Maracangalha e da Presidente da Associação do bairro é ocupar a região mais antiga da cidade, hoje esquecida, com alegria e cultura

Thaís Pimenta
Evoé Baco comemora seus sete anos de existência no bairro em que teve sua origem. (foto: Reprodução Facebook)Evoé Baco comemora seus sete anos de existência no bairro em que teve sua origem. (foto: Reprodução Facebook)
O bloco Evoé Baco, do Teatro Imaginário Maracangalha, faz pré-carnaval pelo bairro Amambaí hoje, a partir das 18h, com vontade de devolver à região o status de lugar importante na cidade.
Os integrantes do Maracangalha, em sua maioria atores, artistas e músicos, tem na arte o ganha pão diário e ideologia de vida. Então, o que para muitos é só folia, para essa galera é mais uma oportunidade de luta por projetos que valorizem o poder da cultura.
O pré-carnaval é o início da comemoração dos sete anos do Evoé Baco. Por isso, a organização do evento escolheu realizar o cortejo no bairro em que tudo começou, o Amambaí. "Nossa sede está aqui. Como comemoramos por muitos anos no São Francisco decidimos voltar pra cá", comenta o responsável pelo Imaginário Maracangalha, Fernando Cruz.
Rosana conta que quer construir um grande centro cultural revitalizando a antiga rodiviária (Thaís Pimenta)Rosana conta que quer construir um grande centro cultural revitalizando a antiga rodiviária (Thaís Pimenta)
O bairro Amambaí é um dos mais antigos da cidade e, hoje, parece esquecido, por conta do abandono do prédio da antiga rodoviária, pela consequente ocupação do espaço por dependente químicos e falta de projeto especifico para incentivar a espaços culturais na região.
"Esse é um dos motivos pelo qual escolhemos esse endereço, para trazer alegria a essa região que carrega tanto da história de Campo Grande", finaliza Fernando.
O evento faz parte uma série de iniciativas culturais com a intenção de levar cor ao cinza que se tornou parte da região, e atrair a atenção do poder público para a potencialidade de um dos bairros mais antigos de Campo Grande, que de acordo com a Presidente da Associação de Moradores e responsável pelo prédio da rodoviária antiga, Rosana Neli, possui 70% da rede hoteleria de toda a cidade.
O sonho de Rosana começa por transformar a rodoviária desativada em 2011 em um centro cultural, com cinemas a preço democrático e teatros. Determinada, ela diz que não sai da administração, voluntária, enquanto não ver seu sonho se tornar realidade. "Já estou há três anos e não pretendo sair, quero ver isso aqui mudar", conta.
Ela adianta, inclusive, que o diálogo com a Prefeitura Municipal parece estar avançado. "O problema é que o prédio, em si, é privado, então se uma a parte pública melhorar a gente espera que todo o resto caminhe junto", explica. A área pública toma conta de 14% de toda a rodoviária antiga.
Orquestra Vai Quem Vem vai animar a galera no Evoé Baco. (Foto: Reprodução Facebook)Orquestra Vai Quem Vem vai animar a galera no Evoé Baco. (Foto: Reprodução Facebook)
Enquanto essas ações não tomam forma, Rosana vai fazendo o que pode, inclusive com os dependentes químicos que tomaram conta da região. "Esses usuários não são criminosos. O perfil deles é outro sabe? Aqui existe um problema de saúde pública, social, eles precisam de tratamento. Eu nunca fui assaltada nessa região".
A presidente, que também mantem como projeto pessoal a administração do bar Bola 7, esquina com o prédio histórico, tem buscado movimentar o espaço com eventos culturais. O último foi o Tá Danda Pinta, bloco LGBT, que atraiu mais de 3 mil pessoas para o bairro Amambaí.
Hoje, o tradicional cortejo do Maracangalha começa na sede do grupo, na Rua Nicollau Fragelli, e segue até o Bola 7, que já foi palco para outro evento do Maracangalha em 2013, o Sarobá.
Lá acontece a primeira etapa do concurso 2ª gira de marchinhas, com participação da orquestra de rua Vai Quem Vem, e apresentação dos vencedores desse mesmo concurso realizado ano passado. "Vai ter também ensaio aberto da Charanga de marchinhas, para provar que a gente faz um carnaval colaborativo, onde cada um faz um pouco e agrega toda a galera", comenta.
A entrada é gratuita mas os artistas esperam arrecadar um quilo de alimento não perecível como contribuição de cada pessoa para ser doado as comunidades indígenas Guarani Kaiowa de Mato Grosso do Sul.
A expetativa, de acordo com Rosane Neli, é de que pelo menos 500 pessoas participem do 1º grito de carnaval do Evoé.
Serviço - O bar Bola 7 fica na rua Joaquim Nabuco, 107.

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

PRÉ-CARNAVAL EVOÉ BACO E 2ª GIRA DAS MARCHINHAS


Quem é do Balaco Baco chega junto dia 26 de janeiro no Pré Carnaval do Bloco Evoé Baco e para participar da 2ª Gira das Marchinhas.



Também traga seu instrumento, pois teremos o ensaio aberto da CHARANGA Evoé Baco, que é aberta e coletiva, onde todas e todos nós somos a participação maior. 


Ahhhh invente sua FANTASIA sem medo de se libertar.



A PARTICIPAÇÃO É SOLIDÁRIA : 1 KG DE ALIMENTO NÃO PERECÍVEL PARA AS RETOMADAS GUARANI KAIOWÁ URGENTE !



Venha ferver no Bar do Bola 7 e descobrir os botecos históricos de Campo Grande... é só chegar a entrada é gratuita. Vamos JUNTOS revitalizar e ocupar o bairro Amambaí com a Associação dos moradores do bairro Amambaí, Centro Comercial Condomínio Terminal do Oeste, Coletivo Tamo na Rodo, Coletivo Terra Vermelha e quem mais colar!
Carnaval prá todo mundo. Ao longo dos dias vamos divulgando a programação.

EVOÉ BACO!


sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

AQUECIMENTO da CARNE de CARNAVAL

EVOÉ BACO CONVOCA > 

Bacantes, Faunos, Sátiros, Palhaços, Pierrôs, Colombinas, Piratas, Arlequins, Bobos da corte, Foliões, Rueiros, Povo e Pova que agita a colaboração para preparação de nosso carnaval de rua.


Traga seu instrumento, trecos & tarecos e o que for beber, para desorganizar nossa ocupação dionisíaca das ruas... Venha! 

Nesse sábado a partir das 15 horas na sede do Teatro Imaginário Maracangalha. 

Preparando a invasão!
NO FINAL DA TARDE TEM CORTEJOOOOO!
EVOÉ BACO !




terça-feira, 5 de dezembro de 2017

MARACA no 2º Santarém em Cena

UFOPA REALIZA A “SEMANA CULTURAL – SANTARÉM CENA – 2.ª REPRESENTAÇÃO” COM 5 ESPETÁCULOS TEATRAIS NA SUA PROGRAMAÇÃO
O evento será realizado de 07 a 10 de dezembro com programação de espetáculos e atividades formativas
 A Universidade Federal do Oeste do Pará – Ufopa e o Projeto Iurupari – Grupo de Teatro, idealizarão em Santarém/PA o Evento “Semana Cultural – SANTARÉM CENA – 2.ª Representação” de 07 a 10 de dezembro, no Auditório Wilson Fonseca da UFOPA – Unidade Rondon; na Praça São Sebastião de Santarém (Praça do Barão); na Orla de Santarém – Av. Tapajós e na Praça da Vila Balneária de Alter do Chão (Praça Sete de Setembro), com entrada franca durante toda a programação dos espetáculos teatrais.
O evento objetiva ser realizado anualmente a fim de levar o teatro e outras artes relacionadas à comunidade, e oferecer cultura e entretenimento, para concretizar a formação de platéia no município de Santarém. A proposta visa realizar um ciclo anual de apresentações de peças teatrais e outras atividades culturais, produzidas para o público infantil ou adulto, e assim buscar novas formas de estímulo aos grupos locais e de outras regiões do Estado do Pará, bem como de outros Estados e Regiões do País, que pretende valorizar o teatro enquanto recurso de lazer, cultura e conscientização dos problemas sociais que afligem a sociedade brasileira.
A 2.ª REPRESENTAÇÃO
Teremos na programação do evento 5 (cinco) ESPETÁCULOS TEATRAIS, sendo um grupo convidado de Campo Grande/MS, que idealizará três espetáculos, e os demais são produções do Projeto Iurupari – Grupo de Teatro da Ufopa de Santarém.
Durante a semana ainda será realizada uma ATIVIDADE FORMATIVA, ministrada pelo grupo convidado, que comporá a programação do evento. Esta atividade visa atender especificamente os artistas, fazedores de teatro do município de Santarém, bem como outros artistas interessados.
O evento contará com debates sobre os espetáculos que serão apresentados durante o evento, e propiciarão ao público presente um bate-papo após cada apresentação, a fim de elucidar aspectos técnicos e formativos do trabalho apresentado, e fomentar a formação de plateia em Santarém e acrescentar elementos teóricos e metodológicos aos grupos participantes do evento.
A condução dos debates, para que ocorra a diálogo entre os artistas e a platéia, ficará sob a incumbência do organizador do evento, Professor Leandro Pansonato Cazula, professor da Ufopa, coordenador do Projeto Iurupari – Grupo de Teatro.
A proposta tem o apoio do ICED – Instituto de Ciências da Educação, da PROCCE – Pró-Reitoria da Cultura, Comunidade e Extensão, e ainda conta o apoio da Prefeitura de Santarém, Padaria Massabor e Conselho Comunitário de Alter do Chão.





segunda-feira, 27 de novembro de 2017

TEKOHA no 6º Festival Nacional de Teatro do Piauí

GRUPO ESCALET DE TEATRO, SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA DO PIAUÍ E GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ REALIZARÃO O MAIOR FESTIVAL DE TEATRO DO BRASIL.
 
O 6° Festival Nacional de Teatro do Piauí acontecerá de 28 de novembro a 03 de dezembro de 2017, na cidade de Floriano/PI, com a participação de 31 grupos de teatro dos Estados do Piauí, Pernambuco, Pará, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Ceará, Santa Catarina, Paraná, Goiânia, Minas Gerais, Distrito Federal, Maranhão, Alagoas, Paraíba, Bahia e Rio de Janeiro.
Serão 153 artistas, entre atores, atrizes e técnicos, que apresentarão suas propostas de montagem para um público estimado em 10.000 espectadores da comunidade em geral, principalmente alunos da rede pública de ensino de Floriano e cidades circunvizinhas. Os gêneros serão os mais variados, desde a comédia, drama, tragicomédia, experimental, atendendo a um público diverso, adulto e infantil. Usando palco Italiano, espaços alternativos, ruas e bairros da cidade.
Segundo a coordenadora do evento, Iraci Costa, “O Festival Nacional vem se consolidando como um dos maiores do Brasil, e busca debater o fazer teatral das mais diferentes regiões do país, garantindo à comunidade diversão e cultura de qualidade”.
Já para o Diretor do Grupo Escalet, Cesar Crispim, “O Teatro é o sal da Terra, se você não o põe na vida, ela fica insossa. É preciso, então, trabalha as artes cênicas e valorizar o artista.”
O Evento só foi possível ser realizado devido o patrocínio da Secretaria de Estado de Cultura do Piauí e do Governo do Estado do Piauí.



quinta-feira, 23 de novembro de 2017

TEKOHA na 1ª Feira Estadual da Reforma Agrária

🎭 #VemPraFeira assistir ao espetáculo “Tekoha: Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno”

Apresentado pelo Teatro Imaginário Maracangalha, o espetáculo narra a trajetória do líder guarani Marçal de Souza e sua resistência histórica na luta pela terra e direitos dos povos indígenas. A palavra que dá nome ao espetáculo, Tekoha, tem um significado peculiar. “Teko” significa modo de estar, sistema, lei, hábito, costume. Tekoha, assim, refere-se à terra tradicional, ao espaço de pertencimento da cultura guarani.

O grupo se apresenta na sexta-feira (24), às 17h, na Praça Ary Coelho, em Campo Grande – MS, durante a 1º Feira Estadual da Reforma Agrária.

Não perca 

TEKOHA 
Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno
O espetáculo narra a trajetória do líder guarani Marçal de Souza e sua resistência histórica na luta pela terra e direitos dos povos indígenas. A palavra que dá nome ao espetáculo, Tekoha, tem um significado peculiar. “Teko” significa modo de estar, sistema, lei, hábito, costume. Tekoha, assim, refere-se à terra tradicional, ao espaço de pertencimento da cultura guarani. É no Tekoha que os guaranis vivem seu modo de ser. O Teatro Imaginário Maracangalha faz da rua a representação tão sagrado aos guaranis.

Direção: Fernando Cruz
Dramaturgia: Fernando Cruz e atuadores
Atuadores: Fran Corona, Moreno Mourão, Renderson Valentin, Fernando Cruz e Ariela Barreto
Pesquisa: Patrícia Rodrigues
Alegoria: Lício Castro
Cenografia: Zéduardo Calegari Paulino
Figurino: Ramona Rodrigues
Preparação corpo em cena: Breno Moroni
Produtora e contra - regra: Ana Capilé
Foto: Danilo Vieira - FIT Rio Preto 2017
Designe gráfico: Maira Espíndola 
Assessoria de Imprensa: Carol Alencar Cozzati
Duração 50 min. /Classificação livre







terça-feira, 21 de novembro de 2017

ARTE CONTRA A IMPUNIDADE


Marçal de Souza, ou Marçal Tupã-i, ou ainda Tupã-Y - Pequeno Deus. Nasceu em Rincão Júlio, na região de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, Brasil, no dia 24 de dezembro de 1920. Marçal foi um líder da etnia guarani-nhandevá que lutou pela demarcação das terras indígenas no Brasil.  
Foi assassinado no dia 25 de novembro de 1983. Os fazendeiros assassinos nunca foram punidos .

"A IMPUNIDADE É MAIS DOLOROSA QUE A MORTE!"
MARÇAL VIVE!


TEKOHA 
Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno
O espetáculo narra a trajetória do líder guarani Marçal de Souza e sua resistência histórica na luta pela terra e direitos dos povos indígenas. A palavra que dá nome ao espetáculo, Tekoha, tem um significado peculiar. “Teko” significa modo de estar, sistema, lei, hábito, costume. Tekoha, assim, refere-se à terra tradicional, ao espaço de pertencimento da cultura guarani. É no Tekoha que os guaranis vivem seu modo de ser. O Teatro Imaginário Maracangalha faz da rua a representação tão sagrado aos guaranis.

Direção: Fernando Cruz
Dramaturgia: Fernando Cruz e atuadores
Atuadores: Fran Corona, Moreno Mourão, Renderson Valentin, Fernando Cruz e Ariela Barreto
Pesquisa: Patrícia Rodrigues
Alegoria: Lício Castro
Cenografia: Zéduardo Calegari Paulino
Figurino: Ramona Rodrigues
Preparação corpo em cena: Breno Moroni
Produtora e contra - regra: Ana Capilé
Foto: Danilo Vieira - FIT Rio Preto 2017
Designe gráfico: Maira Espíndola 
Assessoria de Imprensa: Carol Alencar Cozzati
Duração 50 min. /Classificação livre